Natal… Esperança!

“O povo que andava em trevas, viu grande luz, e aos que viviam na região da sombra da morte, resplandeceu-lhes a luz.

[…]

Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sob seus ombros; e seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz;” Isaías 9:2 e 6

Fico imaginando como foi o impacto da notícia do nascimento de Jesus para aqueles que aguardavam a promessa feita a tanto tempo ao povo de Israel. Apenas para contextualizar rapidamente, de acordo com o relato bíblico, a vinda de Jesus, do Filho de Deus, do Messias, do Salvador, tinha sido anunciada de várias formas, por muito, muito tempo. As profecias feitas a respeito deles davam informações a respeito deste acontecimento: local, origem, genealogia, etc. Pois bem, quem estava “atento”, o reconheceu como Aquele que tinha sido prometido.

Foi o caso de Simeão, relatado em Lucas 2:25-35, que aguardava o nascimento ou a chegada dEle, e quando o viu, afirmou que Ele era “luz para revelação aos gentios e para glória de teu povo de Israel.” (v. 32)

Sim, para aquele povo que “andava em trevas”, o nascimento de Jesus, fez resplandecer a luz. Trouxe esperança, alegria, paz. Trouxe nova vida, novas perspetivas, novo começo. Novidade e esperança marcaram a vida de todos aqueles que o esperavam e viram a sua chegada!

E o que isso tem a ver comigo e com você? Explico.

Se você é mãe ou pai e vive no Brasil como eu, o ano de 2015 começa e termina com algumas questões que certamente nos afligem. Se você não é pai, nem mãe ou não mora no Brasil, talvez o que vou mencionar não te aflige, mas certamente outras questões podem estar ocupando este papel na sua vida.

Pois bem, o Brasil ao longo do ano sofre uma crise política e econômica que tem afetado a nossa vida, o nosso emprego, nosso poder de compra, acesso a produtos de qualidade, nosso otimismo, nossa fé num país melhor, etc. Incerteza é a palavra de ordem. E aí, nos perguntamos: como será o futuro? Como criaremos nossos filhos neste país? Vontade de ir embora, ou de ficar e não desistir… de um ou outro lado, estamos aflitos, preocupados.

Para coroar toda essa situação, fechamos o ano com a intensificação dessas crises e com a notícia de que podemos estar prestes a viver uma epidemia de uma doença transmitida por um mosquito que pode comprometer o desenvolvimento cerebral de bebês dentro do útero de suas mães! Uau! Para quem está grávida, a notícia não poderia ser melhor! Para pais de filhos pequenos, andou rolando informações de que os pequenos também estavam correndo risco, caso contraíssem o zika (nome da doença e que me refiro). Como é possível estarmos sujeitos a esse tipo de risco em pleno 2015? Coisas de Brasil, país subdesenvolvido? Talvez… O fato é que isso também nos aflige.

E aí chega o Natal. Tempo de esperança, de renovação, de confraternização e união, ainda que Jesus não faça parte desse pacote.

Se Ele está no pacote, na minha opinião, é bem melhor! Olhar pra Jesus, para aquele bebê que nasceu em Belém há muito tempo atrás e trouxe esperança para um povo que vivia em trevas e perceber que o nascimento dEle, novamente, na minha e na sua vida, nas nossas casas e famílias, pode trazer Esperança onde há trevas, dúvidas, medos e incertezas.

Jesus trouxe luz para um povo que estava em trevas. O mesmo Ele pode fazer hoje, nessas “trevas” que nos cercam. Esperança, renovação, e a certeza de que, mesmo que as coisas não melhorem, Ele estará conosco, renovando essas coisas dentro de nós. Certeza de que Ele cuidará de nós em quaisquer circunstâncias. Certeza de que Ele pode trazer luz e nos ajudar a não desistir, e lutar para que o nosso país seja melhor, para que os nossos filhos sejam protagonistas e pessoas que façam diferença onde quer que eles estejam.

Da mesma forma que foi no passado, o nascimento de Jesus nos traz luz e esperança hoje. Natal é Esperança! Jesus é Esperança! Aleluia! Jesus Nasceu! “O povo que andava em trevas, viu grande luz…”

Que você tenha um Feliz Natal e que Jesus traga esperança e luz, no lugar das trevas e incertezas!